Assine nosso feed RSS RSS
19/11/14

Comobo ISO (9001:2008 + 19011:2012)

Turbine seu Currículo!
“COMBO ISO 2 em 1″
ISO 9001:2008 + ISO 19011:2012 (Auditor Interno)

Data: 29/11/14 e 06/12/2014
Local: FUNPAR (centro, ao lado do terminal Guadalupe)
Apenas R$ 550,00, incluso material didático, coffee break e  certificado.
Você recebe 2 cursos a preço de 1!

Ligue para (41) 3254-8231

www.clfrh.com.br

22/07/14

Quem o mercado esta contaratndo e demitindo hoje

Quem o mercado está contratando e quem está demitindo hoje

Confira os cargos que apresentam oportunidades de carreiras mais atrativas em áreas como finanças, marketing, TI e RH

por O Globo

16/07/2014 7:52 / Atualizado 16/07/2014 10:46

Engenheiro de meio ambiente é uma das carreiras em alta em 2014, segundo consultoria – Divulgação


RIO — A economia em ritmo mais lento tem causado algumas mudanças na gangorra das profissões. É o que revela levantamento recente feito pela Page Personnel, empresa de recrutamento especializada em profissionais técnicos e de suporte à gestão. De acordo com Ricardo Haag, gerente-executivo da consultoria, os últimos quatro anos da economia brasileira foram marcados pela abertura de um grande número de vagas, com empresas tentando atrair candidatos com potencial para enfrentar o que seria o boom do mercado brasileiro, mas também pelas dificuldades para contratação de mão de obra qualificada.

CONFIRA AS PROFISSÕES DE MAIOR E MENOR DEMANDAS EM NOVE ÁREAS

http://infograficos.oglobo.globo.com/economia/as-profissoes-de-maior-e-menor-demandas-em-nove-areas-2.html

No entanto, diz Haag, este cenário mudou, e maio de 2014 registrou o pior resultado na criação de novas posições formais dos últimos 22 anos. Parte deste resultado negativo foi marcado pelo fraco desempenho da indústria, que apresentou uma queda de 0,8% em seu resultado em relação ao primeiro trimestre do ano passado. Entre janeiro e maio deste ano, foram criados 543.231 postos de trabalho, o pior resultado para os cinco primeiros meses de um ano desde 2009. Em relação ao mesmo período do ano passado, e queda é de 18,8%. Este ritmo lento da economia brasileira, que apresentou um crescimento de 0,2% do PIB no primeiro semestre de 2014, muda a configuração do mercado de trabalho, ressalta o executivo:

— O menor número de posições criadas faz com que profissionais passem mais tempo buscando novas oportunidades e “entre empregos”, cenário parecido com o ano de 2009, marcado pelo período pós-crise.

Hoje, segundo o gerente-executivo da Page Personnel, os setores de agronegócios, construção civil e serviços são responsáveis por mais de 70% das posições trabalhadas pela consultoria e passam a apresentar oportunidades de carreiras mais atrativas, maior número de vagas, e crescimento mais acelerado para seus profissionais.

E com o desempenho ruim da economia, desligamentos, vagas “congeladas” e um número menor de posições abertas, as empresas passaram a ficar mais exigentes em suas contratações e com os profissionais que compõem seus quadros de funcionários. Hoje, estão em busca daqueles mais experientes e que possam suportar momentos mais turbulentos:

— Essa mudança no cenário causou uma procura mais intensa por pessoas com esse perfil. Cerca de 80% das posições que trabalhamos este ano foram substituições de profissionais que já faziam parte do quadro das empresas e foram trocados principalmente pela falta de idiomas, cursos necessários para desempenhar certas atividades, desempenho abaixo do esperado e motivos comportamentais.

Mas qual o perfil desejado pelas organizações? Haag afirma que os empregadores buscam cada vez mais profissionais com conhecimentos em idiomas (principalmente o inglês) devido à necessidade de autonomia para fazer contatos constantes com a matriz, além de trabalharem lado a lado com gerentes e diretores expatriados de outras operações.

E tem mais, acrescenta: graduação e cursos específicos são cada vez mais exigidos pelo mercado, principalmente para áreas como logística, engenharias, contabilidade e tributos. Ele cita o caso de profissionais sem graduação que atuam em ciências contábeis e encontram cada vez mais dificuldade para se recolocar na área, mesmo com experiência profissional comprovada.

ALTOS E BAIXOS

Os cargos que hoje estão em baixa passam por processos de cortes de custos, falta de novos projetos, redução de equipes ou excesso de profissionais no mercado com experiência na função. Já as posições consideradas em alta apresentam menor número de profissionais qualificados ou a necessidade especifica de algum conhecimento.

— Um bom exemplo são os analistas de custos. Nos últimos meses, o mercado está aquecido para esses profissionais, devido ao momento de cortes de custos que as empresas vêm passando. Podemos também citar os analistas de remuneração, que passaram a reavaliar as estruturas de cargos e salários das companhias onde trabalham, buscando ser mais competitivos e otimizar os recursos paras novas contratações.

Haag ressalta que, apesar do momento e menor número de contratações, ainda existe um grande volume de vagas para profissionais bem preparados, principalmente aqueles que possuem conhecimentos em idiomas e estão dispostos a “vestir a camisa” das corporações.

De acordo com o levantamento da Page Personnel, há mais cargos em alta do que em baixa, apesar de o cenário ser menos favorável este ano. Na área de finanças, por exemplo, os cargos em alta são analista de tributos diretos, analista de custos e analista de planejamento financeiro. Neste setor, analista contábil e de RI apresentaram queda de demanda. Em Tecnologia da Informação, os profissionais mais requisitados são analista de suporte, coordenador de infraestrutura e analista de infraestrutura. Os postos em baixa são desenvolvedor.net e analista de sistema. Já em engenharia, as especialidades que estão sendo mais requisitadas pelas empresas são saúde, segurança e meio ambiente. Engenheiro de projetos, no entanto, teve queda neste ano.
Read more: http://oglobo.globo.com/economia/emprego/quem-mercado-esta-contratando-quem-esta-demitindo-hoje-13272579#ixzz38DQg4JYb

03/08/13

Qualidade De Vida No Trabalho

03/10/2012

Artigo escrito para a Palestra Qualidade de Vida no Trabalho no IV Congresso Norte Paranaense de Recursos Humanos, em Londrina – Paraná.

Vivemos numa sociedade em mudanças e num momento excitante para as organizações. A sociedade percebe que a Qualidade de Vida e a Saúde são ativos importantes, envolvendo dimensões física,intelectual, emocional, profissional, espiritual e social. Práticas inadequadas no ambiente de trabalho geram impacto negativo na saúde física e emocional dos empregados e na saúde financeira das empresas. Baixa motivação, falta de atenção, diminuição de produtividade e alta rotatividade criam uma energia negativa que repercute na família, na sociedade e no sistema médico. Segundo Domenico de Masi, vivemos e trabalhamos numa sociedade do futuro, mas continuamos a usar os instrumentos do passado.Felizmente, para algumas empresas inovadoras e conscientes, este cenário não faz parte de sua realidade atual. As dez melhores empresas para se trabalhar (Guia Exame 2001) transformaram o ambiente de trabalho e a Saúde emocional e física em vantagem competitiva, tendo plena convicção estratégica de que quanto mais eliciar satisfação, mais retorno terão em produtividade, criando assim a visão de uma organização mais privilegiada, competitiva e equilibrada.

Definição:

Segundo a Organização Mundial da Saúde, Qualidade de Vida é um conjunto de percepções individuais de vida no contexto dos sistemas de cultura e de valores em que vivem, e em relação a suas metas, expectativas, padrões e preocupações.

Objetivos

Programas de saúde é a ciência e a arte de ajudar pessoas a modificar seu estilo de vida em direção a um ótimo estado de saúde, sendo esta compreendida como o balanço entre a saúde física, emocional, mental, social e espiritual. (american journal, 1989).

Os programas de Saúde e QV objetivam facilitar mudanças no estilo de vida, combinando ações e campanhas para consciência, comportamento e envolvimento, que suportem suas práticas de saúde e previna doenças.

Qualidade de Vida no Trabalho

O propósito de um programa de Qualidade de Vida ou Promoção de Saúde nas Organizações é encorajar e apoiar hábitos e estilos de vida que promovam saúde e bem estar entre todos os funcionários e famílias durante toda a sua vida profissional.

Um programa de Qualidade de Vida existe para gerar estratégias com o intuito de promover um ambiente que estimule e dê suporte ao indivíduo e à empresa, conscientizando sobre como sua saúde está diretamente relacionada à sua qualidade e produtividade.

Não é suficiente ter em mente mudar relevantemente o estado de saúde dos profissionais mas também encorajá-los a cuidarem e gerenciarem sua própria saúde, adquirindo um ganho substancial na sua satisfação e crescimento, assim como no aumento de produção e redução de custos para a empresa

Benefícios

Melhoria da produtividade

Empregados mais alertas e motivados

Melhoria da imagem corporativa

Menos absenteísmo

Melhoria das relações humanas e industriais

Baixas taxas de enfermidade

Melhoria da moral da força de trabalho

Redução em letargia e fadiga

Redução de turnover

Missão Estratégica

A missão estratégica de um programa de Qualidade de Vida canaliza seus esforços para alcançar os seguintes resultados:

• Aumentar os níveis de SATISFAÇÃO E SAÚDE do colaborador/ consumidor/ comunidade. (Força de trabalho mais saudável)

• Melhorar o CLIMA ORGANIZACIONAL (ambiente, relações e ações saudáveis)

• Afetar beneficamente no processo de FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO humano, agregando competências (capacidade e atributos)

• Influenciar na diminuição da PRESSÃO NO TRABALHO e do DISTRESSE individual e organizacional (Menor absenteísmo/rotatividade; Menor número de acidentes)

• Melhorar a capacidade de DESEMPENHO das atividades do dia-a-dia. (Maior produtividade)

As dimensões da Saúde Integral e Qualidade de Vida

Para efeitos didáticos, dividimos a Saúde em Seis Dimensões: FÍSICA, EMOCIONAL, INTELECTUAL, PROFISSIONAL, SOCIAL e ESPIRITUAL.

Estas dimensões facilitam a consciência e o desenvolvimento da saúde integral, assim como a possibilidade de se ter uma visão sistêmica e seu posterior equilíbrio e expansão, pois sabemos que na vida sempre estamos buscando uma inter-relação harmoniosa dos vários aspectos e dimensões do ser humano.

Desde que o mundo exigiu novas e complexas interações em termos de excelência em relação à produtividade e a qualidade dos serviços prestados, estamos tendo que constantemente se adaptar à todos estes estímulos, comprometendo de alguma forma nosso aprendizado e saúde. Afina de contas, se sentir mal no tempo e no espaço não é mais privilégio de nenhum astronauta. O psiquiatra Carl Gustav Jung dizia que se as coisas vão mal no mundo, algo deve estar mal comigo. Assim seria sensato, em primeiro lugar, ficar bem. Viver uma vida vibrante e feliz, na qual se utiliza o máximo que possui, com enorme prazer é um objetivo de vida. É o que dá qualidade à vida.

Eduardo Carmello

23/07/13

Pesquisa: 51% Dos Jovens Querem Empreender Em 6 Anos

Levantamento com 46.107 jovens brasileiros das cinco regiões do país indica que 56% deles querem abrir um negócio. Eike Batista é o “líder mais admirado”

São Paulo – Ter um negócio próprio já faz parte dos sonhos de 56% dos jovens brasileiros, sendo que 51% deles pretendem empreender em um prazo de até 6 anos. Os dados são de uma pesquisa realizada pela Cia de Talentos, agência de recrutamento, em parceria com a Nextview People, empresa de pesquisas em gestão e desenvolvimento de pessoas.

m sua 12º edição, a pesquisa ouviu 46.107 pessoas entre 20 e 26 anos das cinco regiões do país. O resultado mostra uma mudança abrupta em relação ao ano passado. Ao responder a pergunta “qual o nome da empresa de seus sonhos?”, a resposta “negócio próprio” ficou em 4º lugar neste ano – atrás apenas de trabalhar no Google, na Petrobras e na Vale. Em 2011, 101 empresas foram mais citadas do que o desejo de empreender.

Para a consultora de recursos humanos e sócia da Cia de Talentos Maíra Habimorad , o resultado está atrelado a maior busca da geração Y por satisfação pessoal. “Os jovens querem trabalhar em uma área com a qual se identifiquem. Então, nada melhor do que criar um negócio em um setor que tenham interesse”. Segundo ela, são identificadas duas grandes necessidades na faixa etária avaliada: “vontade de realizar-se profissionalmente fazendo o que gosta e de deixar uma marca positiva no mundo”.

Segundo ela, os bons exemplos de jovens empreendedores, como o amplamente citado Mark Zuckerberg (criador do Facebook), estimulam os mais novos a empreender, mesmo diante de outras alternativas profissionais. “A tecnologia permite que muitos jovens arrisquem por vontade, não somente por necessidade”, afirma.

Os jovens da região Norte são os que mais querem ter um negócio próprio, seguidos pelos da Centro-Oeste, Sul e Nordeste. O Sudeste do país fica com a última posição. “As regiões Norte e Nordeste são menos saturadas, o que torna um pouco mais fácil criar algo”, considera Maíra.

Ao mesmo tempo em que aumentou o interesse pelo empreendedorismo, diminuiu de 87% para 75% o índice dos que também avaliam trabalhar em empresas privadas.

No quesito taxa de empreendedorismo (porcentagem de empreendedores em relação à população adulta do país) o Brasil ficou com a 8ª posição entre 54 países analisados. Está à frente, por exemplo, dos Estados Unidos, que atingiram apenas o 16º lugar. Contudo, o país ainda está bem distante dos vizinhos Peru e Colômbia, em que 82% e 77% dos jovens, respectivamente, afirmaram que gostariam de empreender.

Líder – Eike Batista foi a personalidade mais citada pelos jovens brasileiros na questão “líder mais admirado”. Empreendedorismo e capacidade de inovar do empresário foram as justificativas utilizadas por 61% dos entrevistados para a escolha.

Amostragem menor – Uma pesquisa realizada em 2011 pela Nextview People com 4.000 jovens em todo Brasil trouxe resultados ainda mais surpreendentes. Isso porque 78% dos entrevistados afirmaram que têm a intenção de empreender.

Mais da metade (54,3%) alegou que gostaria de abrir um negócio porque acredita que, desta forma, conseguirá independência financeira ao mesmo tempo em que realiza algo “interessante”. Outros 37,2% admitem que precisam aprimorar seus conhecimentos para gerir um negócio.

O estudo indica também que 12,5% dos jovens já se definem como empreendedores, sendo que quase todos (95,5%) se consideram felizes profissionalmente e mais de 50% atua no segmento de serviços.

Fonte: http://www.rhportal.com.br/artigos

12/07/13

Oportunidade de emprego!

Não perca esta oportunidade! Conquiste agora seu novo emprego!

São diversas vagas disponíveis em www.clfrh.com.br

Boa sorte!

Recrutamento e Seleção

+ 55 41 3254-8231

www.clfrh.com.br

20/07/12

CLF Educação Empresarial!

Agora sua Empresa pode contar com a melhor equipe: CLF Educação Empresarial!

A CLF Treinamentos conta com profissionais especializados em treinar e aprimorar os conhecimentos e habilidades de sua equipe, fazendo com que seus resultados sejam alcançados. Seja motivacional ou capacitação profissional, a CLF Treinamentos atende suas necessidades com comprometimento e qualidade. Consulte agora mesmo nossa equipe e contrate o treinamento que sua empresa necessita.

* Auditor Interno da Norma ABNT NBR ISO 9001:2008;

* Administração do Tempo;

* Técnica de Negociação;

* Motivacional;

* Kaizen 5S;

* Kaizen de Produtividade;

* Kaizen Administrativo;

* Kaizen Lean Warehouse (Almoxarifado);

* As 7 Ferramentas da Qualidade;

* Entre outros! Para mais informações ligue (41)3254-8231 ou envie um e-mail para treinamentos@clfrh.com.br.

Acesse nossas redes sociais pelo site: http//www.clfrh.com.br.